24.11.11

Saudades de uma Infância.

Tenho saudade de brincar às caçadinhas.
Tenho saudades de brincar às escondidinhas.
Tenho saudades de brincar ao cola-descola.
Tenho saudade de brincar ao camaleão e ao 1,2,3 macaquinho chinês.
Tenho saudades de ver o big show sic!
Tenho saudades de brincar na rua e chegar a casa toda suja.
Tenho saudades de quando a minha mãe me dizia: 'Daniela não podes ver esse filme que não é p'ra tua idade'.
Tenho saudades daqueles penteados que a minha mãe me fazia.
Tenho saudades daquelas meias-calças vermelhas, castanhas e cor-de-rosas que usava.
Tenho saudades das fotos que tirávamos com os livros da escola!
Tenho saudades das noites anteriores às festas da escola em que não conseguia dormir com tanta ansiedade.
Tenho saudades de ver o batatoon e as navegantes da lua.
Tenho saudades de quando o Pai Natal ia à escola entregar as prendas!
Tenho saudades em que as únicas vezes que discutia com a minha mãe era por causa de não gostar de ervilhas.
Tenho saudades da minha avó quando me fazia as vontades e ralhava com a minha mãe por minha causa. ♥
Tenho saudades de acordar ao Domingo de manhã e ir com o meu pai à Ribeira comprar tremoços :' )


Enfim, tenho saudades de ser criança e de as minhas únicas preocupações serem fazer os trabalhos de casa e portar-me bem. Oh tempo volta p'ra trás.....

21.11.11


Pensar que não somos capazes torna-se o 1º passo para que deixemos de acreditar no que é melhor para nós e levar-nos a desistir do que sempre sonhamos. O importante não é os sonhos que temos mas sim o que alcançámos a partir deles.


"In the end, it's not going to matter how many breaths you took, but how many moments took your breath away."

16.11.11















Contudo, me parece que cada vez mais as pessoas se sentem à vontade para dizer 'adeus' e nem se dão ao trabalho de construir um 'olá'.

28.3.11

Podia escrever sobre ti, sobre mim, sobre nós. A cena é que sobre nós não há mais nada a dizer. Foste, és e serás uma página virada na minha vida, pois é impossível por mais paciência que uma pessoa tenha aguentar tanta mentira, tanto engano, tanto sofrimento.
Quero libertar-me de ti e de tudo o que me liga a ti. Apaguei fotografias, músicas, momentos... fiz um delete e depois um reset e ainda formatei, só para ter a certeza que não tinhas ficado como um vírus daquele tipo que por mais que o AVG secanize não desaparece!
Sim, hoje sou capaz de dizer: "já eras, já fostes." O comboio passou e eu não fiquei para apahá-lo. Nem me dei ao trabalho de levantar-me daquele banco de estação só para espreitar o que lá vinha. Nem ouvi a menina da estação a anunciar a tua entrada no cais 1. Nem mesmo o tempo que tiveste parado à minha frente, a meter a carga toda que te faz tão feliz e tão seguro de ti mesmo, me fez levantar... Porque sejamos francos, o meu coração já não dipsara quando te vê, a minha barriga já não sente aquelas borboletas que sentia... e os meus olhos já não brilham quanto te aproximas.
Pois é meu "amigo" és uma página bem arrancada do meu caderno, daquelas que saem tão direitinhas que até dá orgulho de ver que o caderno ficou perfeito mesmo sem uma mísera página!


"Ele foi uma etapa, uma pessoa que te fez feliz e que, agora, já não tem nada para te dar.
E tu não podes viver agarrada ao passado."

16.3.11

Meu Coração tardou.

Meu coração tardou. Meu coração
Talvez se houvesse amor nunca tardasse;
Mas, visto que, se o houve, houve em vão,
Tanto faz que o amor houvesse ou não.
Tardou. Antes, de inútil, acabasse.

Meu coração postiço e contrafeito
Finge-se meu. Se o amor o houvesse tido,
Talvez, num rasgo natural de eleito,
Seu próprio ser do nada houvesse feito,
E a sua própria essência conseguido.

Mas não. Nunca nem eu nem coração
Fomos mais que um vestígio de passagem
Entre um anseio vão e um sonho vão.
Parceiros em prestidigitação,
Caímos ambos pelo alçapão.
Foi esta a nossa vida e a nossa viagem.

Fernando Pessoa